• phvo1998

Será mesmo que teremos essa "The Last Dance" entre Barcelona e Messi?

No último domingo, o Barcelona estreou oficialmente na temporada 2020/2021. Com gol de Messi, o time goleou por 4x0. Após toda a novela sobre a saída do craque argentino, muitos dizem que essa temporada será a última de Lionel em Barcelona. Comparam com a última temporada de Michael Jordan no Chicago Bulls, fato esse que virou uma série na Netflix intitulada “The Last Dance”.

Assim como em 1998, a temporada do Barcelona será cercada de mistérios e teorias sobre o futuro do clube, que tem eleições no primeiro trimestre de 2021, e de Messi. Que o argentino não saiu apenas por não querer colocar o Barça na justiça é de conhecimento geral. Porém, alguns fatos ocorreram durante a janela de transferências e que podem dar um novo rumo a esta novela.

Joan Laporta foi presidente do Barça entre 2003-2010. Só por esses anos você já tem ideia que ele foi gigante no clube, mas ele é ainda maior. Quando o catalão assumiu, o Barcelona vivia um momento semelhante a este. Com dívidas geradas por contratações, que tentavam tapar um buraco deixado pela saída de um ídolo, caras e sem êxito. Laporta reorganizou o clube e tentou montar uma estrutura vencedora a partir de um super craque e que o retorno financeiro, além do esportivo, viesse através das premiações, da bilheteria, da cota de TV, de sócio-torcedor e da venda de produtos. Laporta assumiu um clube que não estava nem no top-10 das maiores receitas do futebol e quando saiu em 2010, só estava atrás, por menos de 30 milhões de euros, do Real Madrid. Isso tudo sem um patrocínio máster.

Laporta, o homem por trás da magia blaugrana que encantou a todos nos últimos anos. Reprodução: Gazeta

Além disso tudo, Joan contratou Guardiola para cuidar da base do Barça e assumiu a responsabilidade em colocar Pep como treinador da equipe profissional. Assumiu os riscos e concordou em vender Ronaldinho Gaúcho e Deco, estrelas do título da Champions de 2006. Laporta tem muita moral com Messi e com Guardiola.

Joan se encontrou com os dois muitas vezes nessa janela e algo pode ter sido armado como foi na saída de Luis Figo do Barça para o Real Madrid. Caso Laporta vença as eleições, Pep tende a voltar ao Camp Nou e assumir a reconstrução do Barcelona com Messi. Porém, a temporada será essencial para isso ocorrer. Guardiola está obcecado pela Champions e quer dar ao Manchester City a sua primeira orelhuda, mas se sente saturado pelas criticas da imprensa inglesa. Lionel quer respirar outros ares e tentar novos desafios, entretanto ama o clube e se possível, quer montar um reestruturação vencedora, para finalizar com chave de ouro a sua carreira como jogador.

Messi e Guardiola; uma história que rendeu ao Barcelona um sexteto em 2009. Reprodução: Veja

As teorias da conspiração e o mistério rondam a temporada do Barcelona, que tentará ganhar um título, fato que não ocorreu no último ano. Talvez, realmente estamos vendo “The Last Dance” entre Barça e Messi, mas como tudo muda em poucos horas, em Maio o cenário pode ser outro e Lionel pode optar por ficar na Catalunha. Se vencer as eleições, Joan Laporta terá uma árdua missão de reconstruir aquilo que já construiu nos anos 2000. Porém, o ex-dirigente já mostrou que é capaz de fazer o Barcelona ser uma máquina dentro e fora do campo. Será um ano muito conturbado e animado no Camp Nou. O que resta aos torcedores do Barcelona é torcer para que em maio tudo esteja bem.


Confira Também: https://www.onagaveta.com.br/post/jogadores-que-est%C3%A3o-surpreendendo-no-brasileir%C3%A3o


0 comentário