• Maiara Costa

Opinião: Um Flamengo com muitas mudanças e quase nenhum resultado

 O Flamengo não conseguiu vencer o clássico contra o Botafogo e segue sem vencer no Maracanã e com apenas cinco pontos no Brasileiro.


Time do Flamengo antes do duelo contra o Grêmio. (Foto: @Flamengo / @AlexandreVidal1  / CRF)
Time do Flamengo antes do duelo contra o Grêmio. (Foto: @Flamengo / @AlexandreVidal1 / CRF)

O Flamengo de Domènec simplesmente não se encontrou no campeonato brasileiro. Mais um jogo, mais uma atuação ruim e mais um péssimo resultado. É conhecido as dificuldades encontradas, seja de ter poucos treinos a um time que parece está sem ritmo de jogo, explicado pelos mais de 20 dias sem jogar entre a final do Carioca e o começo do Brasileiro. Ainda assim, é muito pouco o que se tem visto nos jogos do atual campeão brasileiro e da Libertadores.


De dominante nos jogos a um time fácil de ser anulado e de sofrer gols, esse é o atual Flamengo . O treinador parece está entre sua ideia de jogo e a forma antiga do Flamengo jogar, e se percebe isso nas suas escalações e mudanças nos meios dos jogos. O catalão no clássico contra o Botafogo começou no 4-3-3, sua escalação preferida. Algo parecido foi visto contra o Atlético Goianiense. Já contra o Atlético Mineiro e o Coritiba foi no típico 4-4-2. Poucas coisas deram certo e muitos problemas foram aparecendo no decorrer dos jogos.

Time do Flamengo no clássico contra o Botafogo. (Foto: @Flamengo / @AlexandreVidal1 / CRF)

Algumas coisas chamaram a atenção no clássico, começando com Arão sendo o único volante e tendo dois meias a sua frente, Diego e Everton. O volante teve dificuldades para cobrir tanto espaço de campo, não que Everton e Diego não tenham ajudado, mas eles simplesmente não são meias box-to-box para subir ao ataque e voltar para marcar com o mesmo fôlego. Outra coisa que chamou a atenção foi ver Gabigol de ponta direita, Bruno Henrique de centroavante e Arrascaeta no banco. Não que o treinador não possa testar, mas quem acompanhou o rubro-negro minimamente em 2019, sabe que isso não faz muito sentido. No fim, o Flamengo estava com quatro atacantes e nenhum meia armador, já que o catalão não colocou Arrascaeta e nem Gerson no jogo. Bom destacar, que Jorge Jesus fez isso algumas vezes nesse ano, mas lá tinha o resultado positivo no final, então poucas pessoas davam muita atenção a isso. O rubro-negro teve outro pênalti, já que Marcelo Benevenuto bloqueou a bola com o braço. Pênalti esse que Gabigol marcou.

Gabigol comemorando o gol de pênalti. (Foto: @Flamengo / @AlexandreVidal1 / CRF)

Goste ou não, o Flamengo de Jorge Jesus cada vez existe menos. Agora é um time lento, sem aproximação e espaçado em campo. São muitas mudanças para um time que teve poucos treinos, mudanças essas que vem sendo vista nos resultados. O Flamengo de Domènec ainda não venceu no Maracanã, são três jogos sem vencer. Lembrando que o time campeão brasileiro de 2019 deixou de ganhar apenas dois jogos no estádio. E poderia ser pior se não fosse os pênaltis cometidos por Kannemann e Marcelo Benevenuto nos minutos finais, seriam quatro derrotas em cinco jogos, pênaltis esses que salvaram o rubro-negro carioca de não ser o lanterna da competição.


Leia também:


Grandes lendas que atuaram apenas por um clube

https://www.onagaveta.com.br/post/grandes-lendas-que-aturam-apenas-por-um-clube


A equipe da quarta rodada do Campeonato Brasileiro do Na Gaveta

https://www.onagaveta.com.br/post/a-equipe-da-quarta-rodada-do-campeonato-brasileiro-do-na-gaveta


Conheça os principais candidatos a melhor do mundo em 2020

https://www.onagaveta.com.br/post/principais-candidatos-a-melhor-do-mundo-em-2020

0 comentário