• phvo1998

O mundo já não é mais o mesmo

Caro leitor, você já viu aquele meme onde o Wolverine diz: “Charles, o mundo não é o mais mesmo”? Pois é, talvez todos nós concordaremos que o mundo do futebol já não é mais o mesmo assim que você terminar esse texto. Nem Cristiano Ronaldo e nem Lionel Messi estão entre os três melhores da temporada europeia e com muita justiça. Acostumamos-nos desde 2008, a ter o futebol dividido em três: Ronaldo, Messi e os mortais. Só que além de imortais, o português e o argentino são humanos e os humanos envelhecem e não correspondem mais as nossas expectativas.


Começando por Ronaldo, que só foi campeão italiano pela Juventus. Sim, eu utilizo o só porque a Juventus ser campeã italiana atualmente é algo normal, tanto que foi o nono título consecutivo dos alvinegros. Na Copa da Itália, a Juve amargou o vice para a Napoli e na Champions, eliminação para o jovem time do Lyon nas oitavas-de-final. Cristiano, além de não ser decisivo em mata-mata, também não foi o artilheiro da Série A.


CR7 não foi decisivo e não foi artilheiro da Série A. Justificável a sua ausência. Reprodução: GE

Obviamente que ele é o jogador mais importante da Juventus, só que não fez valer a sua importância na hora das decisões, como cansou de fazer inúmeras vezes. Além disso, nos pontos corridos nem artilheiro da competição foi. Ronaldo não fez nada para merecer estar entre os três melhores da UEFA, apesar de já estar no Top 10 da história.


E o Messi? Bem, ele foi muito mais decisivo que Ronaldo, tanto que foi por causa dele que o Barcelona eliminou a Napoli nas oitavas-de-final da UEFA Champions League. Além de ter sido o artilheiro e maior assistente da última La Liga. Só que para por ai.


Apesar da artilharia, Messi foi eliminado pelo Atleti, vice do Real e levou 8x2. Reprodução: GE

Apesar do alto rendimento, Messi não tem como ficar entre os melhores. O camisa 10 marcou apenas três gols na Champions e não conquistou nenhum título na temporada. Foi eliminado para o Atlético de Madrid na Supercopa, conseguiu perder a La Liga mesmo voltando da parada na frente do Real Madrid e tem o fatídico 8x2 do Bayern de Munique.


O que estamos vendo, são dois gênios chegando perto do fim e naturalmente os dois não conseguem mais repetir os desempenhos do seu auge. Estamos vendo Messi e Cristiano Ronaldo se tornando mortais perante o processo natural da vida. Inúmeros craques já passaram pelo mesmo dilema que os dois estão enfrentando hoje. Isso não significa que jamais veremos lampejos daquilo que era uma normalidade há três anos atrás. Porém, temos que entender que daqui para frente, o novo normal será exatamente esse, outros jogadores tendo desempenhos superiores aos dois craques.


Messi e Ronaldo fora dos três melhores da UEFA é muito justificável. Os dois não tiveram o mesmo desempenho de Robert Lewandoski, artilheiro e campeão da Champions, Copa da Alemanha e Bundesliga. Nem de Kevin de Bruyne, líder em assistências da Premier League o melhor meio-campista da atualidade. E também não foram melhores do que Manuel Neuer, que conquistou a tríplice coroa com o Bayern de Munique e ficou 22 jogos sem levar gol.


O auge já foi e o que fica será apenas momentos decisivos e geniais que Lionel Messi e Cristiano Ronaldo protagonizarão. A eternidade já é deles e as histórias serão as que nós repassaremos para as futuras gerações.


Confira Também: https://www.onagaveta.com.br/post/os-11-jogadores-com-maior-valor-de-mercado-do-futebol-brasileiro


0 comentário