Nike e Brasil, a maior parceria da história do futebol

"Só conseguiremos compreender o futebol de fato se enxergarmos o esporte pelos olhos dos brasileiros". A frase atribuída a Phil Knight, presidente e Co-Fundador da Nike, representou o gatilho inicial da marca no principal pódio do futebol. O início da gigante esportiva no 'Maior Jogo do Mundo' teve grande repercussão nos anos 90 com a ousada investida de fornecer a seleção brasileira, à época tetracampeã mundial, nos EUA.


Apostando sempre na filosofia do futebol-arte e cinematográfico dos brasileiros, a marca confia a Ronaldo, desde 1993, um contrato vitalício que exige, do agora ex-craque, comprometimento em difundir a marca pelo mundo, sobretudo nas redes sociais e aparições midiáticas - sempre vestindo parte da coleção da fornecedora. Sua própria ida, em 2009, ao Corinthians, simbolicamente apalavrado em um guardanapo, significou terra firme para que o atleta e o Timão entregassem, juntos, bons frutos à marca e vice versa.

Ronaldo é um dos símbolos de jogadores brasileiros que marcaram com o patrocínio da Nike Foto:
Ronaldo é um dos símbolos de jogadores brasileiros que marcaram com o patrocínio da Nike

Já no começo dos anos 2000 e no "boom" das plataformas digitais, a aposta agora pairava pelos virais de Ronaldinho Gaúcho, com amostras plásticas do craque com a bola, usado como marketing para a chuteira Tiempo. O DNA brasileiro tinha, de fato, incorporado à multinacional e vídeos como "Joga Bonito" com presenças de craques como Robinho, R10, Ronaldo, Adriano e Roberto Carlos (Kaká ausente, pois representava a concorrente Adidas) propagandeavam seu viés consolidado: o futebol-samba do Brasil customizando o show business do "Maior Jogo do Mundo".

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo