• Bruno Lobão

Arsenal 2003/04: O único campeão invicto da era Premier League

A temporada 2003/04 certamente ficará para sempre na memória do torcedor do Arsenal. Com uma extraordinária campanha de 26 vitórias, 12 empates e nenhuma derrota, a equipe dirigida por Arsène Wenger somou 90 pontos e levantou o caneco dourado (troféu concedido apenas para o campeão invicto) da Premier League. Foi um feito inigualável, sendo a única equipe da história da Inglaterra a consegui-lo. Vale lembrar que o Preston North End, na temporada 1888/89, também foi campeão sem uma única derrota, mas foi 103 anos antes da fundação da nova era do Campeonato Inglês. Como foi a montagem do elenco? O que tinha de especial nesse grande time? Confira, abaixo, alguns dos motivos que levaram os Gunners ao sucesso no cenário nacional.

Arsenal campeão inglês 2003/04. Foto: Divulgação/Premier League

O "ESQUADRÃO IMBATÍVEL"

Recheados de craques como Thierry Henry, Bergkamp, Gilberto Silva e companhia, o Arsenal deixou de ser um time lento e burocrático e passou a jogar o futebol mais vistoso da Europa, com ideias muito bem elaboradas e um jogo ofensivo de primeira linha. O "Esquadrão Imbatível", como ficou conhecido, era formado por: Lehmann; Lauren, Sol Campbell, Kolo Touré e Ashley Cole; Patrick Vieira, Gilberto Silva, Pirés e Ljungberg; Bergkamp e Henry. Téc.: Arsène Wenger.

O "Esquadrão Imbatível". Foto: Tacticalpad

Era um time de características ofensivas, que usava o 4-4-2 como formação inicial, mas que fazia uma leve variação para o 4-2-3-1 com o recuo de Bergkamp para a posição de "camisa 10". As rápidas transições defesa-ataque também foram marcantes no período, utilizando-se bastante dos alas para encontrar os melhores espaços e executar os adversários nos contra-ataques. 


"LE PROF" WENGER

Um dos nomes mais importantes dessa equipe, Arsène Wenger fez história no comando dos Gunners. Com sua política de não fazer grandes investimentos, o treinador francês se destacou bastante por descobrir novos talentos em ligas alternativas, além de fechar acordos por jovens jogadores - que viriam a ser lapidados - e extrair o máximo de seus atletas dentro de campo.


Foto: Divulgação/Premier League

Depois de sete temporadas completas à frente do clube, o Arsenal de Wenger tinha outra cara. Manteve a base dos anos anteriores, renovou o contrato de grandes jogadores como Vieira e Pirés e reforçou o time titular com Jens Lehmann, que chegou para substituir o lendário goleiro David Seaman. O excelente planejamento a longo prazo colocou o clube londrino como um dos favoritos ao título, confirmado ao final do campeonato.


GILBERTO SILVA: "THE INVISIBLE WALL"

Um dos pilares desse time foi o volante Gilberto Silva. Posicionando-se à frente da defesa, o "Muro Invisível", como era chamado, desconstruía muito bem os ataques adversários, sendo uma verdadeira parede na intermediária dos Gunners. Foi, também, muito importante na saída de bola da equipe, iniciando jogadas desde o campo de defesa que por várias vezes resultou em gol. 

Gilberto Silva "The Invisible Wall". Reprodução/YouTube

Mesmo não sendo sua especialidade, Gilberto balançou as redes quatro vezes na memorável campanha do título. Mostrou, ao longo da temporada, uma boa chegada à área adversária, marcando, inclusive, um lindo gol contra o Middlesbrough desta maneira. Mas, se destacou realmente por "carregar o piano" para que Henry e Bergkamp realizassem suas magias, e por isso merece uma menção especial quando o assunto é o Arsenal 2003/04.


O GARÇOM E O ARTILHEIRO: CONEXÃO HENRY-BERGKAMP

Formando a comissão de frente da equipe, Thierry Henry e Dennis Bergkamp deram um show durante toda a temporada. O francês, no auge de sua carreira, marcou 30 gols e foi o artilheiro da Premier League, levando também a Chuteira de Ouro daquele ano. Bergkamp, por sua vez, foi o líder de assistências dos Gunners no campeonato, com 9 ao todo. Foi uma dupla mortal por todos os estádios que passou, conduzindo o Arsenal à glória nacional depois do vice-campeonato no ano anterior.

Dupla Henry-Bergkamp. Foto: Getty Images

O desempenho espetacular de Henry rendeu o segundo lugar na Bola de Ouro da FIFA, perdendo apenas para Ronaldinho Gaúcho. A grande temporada do camisa 14 o consolidou como uma lenda do Arsenal, sendo um dos maiores jogadores da rica história do clube. Mesmo em fim de carreira, o "Homem de Gelo", como era conhecido Bergkamp, aproveitou muito bem suas últimas temporadas antes de pendurar as chuteiras. Foi genial vestindo a camisa do Arsenal, sendo idolatrado até os dias atuais pelo torcedor vermelho e branco.


MELHORES JOGOS

Foi uma campanha recheada de grandes jogos, batendo quase todas as equipes do 'Big Six'. Separar os melhores jogos do Arsenal nessa temporada não foi tarefa fácil, mas vale destacar as vitórias contra Chelsea e Liverpool, já na reta final do campeonato. Foram partidas complicadíssimas, contra dois times que estavam brigando no topo da tabela, mas os Gunners levaram a melhor e mantiveram a invencibilidade. Além deles, é importante ressaltar o empate contra o Tottenham, na 35º rodada, que garantiu o título inglês.





0 comentário